Ferramentas Auxiliares (Casa do Senhor) - Rádio Web Online - Dicionário Bíblico Online

 


 

PORQUE DEUS AMOU AO MUNDO DE TAL MANEIRA

 

O homem pode ser salvo, porque o amor de Deus é muito grande.

 

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16)

 

Deus nos deu o que tinha de melhor, de mais precioso, para que fosse sacrificado naquela cruz e tivéssemos vida eterna.

 

O sacrifício foi feito de uma vez por todas. Mas somente aqueles que aceitam é que são salvos. É um cheque em branco e assinado. Basta preencher. Mesmo assim, muitos não o querem.

 

Jesus não veio para julgar o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele. Ele veio trazer salvação.

 

“Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.” (João 3:17)

 

Não há julgamento para o crente, porque morremos com Cristo e não há como cobrar uma dívida de quem já morreu. Jesus cravou na cruz a cédula que nos condenava.

Depois que aceitamos Jesus, temos o privilégio de reconhecermos que erramos e sermos perdoados, remidos e lavados pelo sangue de Jesus.

 

QUEM NÃO CREU NO NOME DO FILHO DE DEUS SERÁ CONDENADO

 

"E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência.

Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também. Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou,

Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), e nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus;

Para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus. Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie” (Efésios 2:1-9)

 

Quem honra o Pai passou da morte para a vida, já morreu em Cristo - Só honramos a Deus se aceitarmos o Seu Filho.

 

ELE NOS VÊ COMO FILHOS PELO SACRÍFICIO DE JESUS

 

"Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?

Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós.

Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro.

Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir,

Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Romanos 8:31-39)

 

A REGENERAÇÃO 

 

Regeneração é a solução de Deus para o homem pecador. Quando Deus, no princípio, criou o céu e a terra, antes de criar o homem, Ele já tinha um plano completo.

 

DEUS É MAGNÍFICO E QUANDO FAZ UM PLANO, O FAZ DE UMA VEZ POR TODAS

 

Ele sabia que Lúcifer iria cair, que Adão iria desobedecer e pecar e sabia que o povo iria crucificar Jesus. Até o juízo final Ele já tinha em seus planos e não os muda de acordo com a conseqüência.

Na eternidade, onde está, Ele vê tudo, do início ao fim. Ele é o Alfa e o Ômega.

O plano de Deus é perfeito e não muda. Ele é onipotente, onisciente e onipresente, portanto, sabe de tudo.

 

Desde o início, Deus já preparara o sacrifício que iria apresentar para o resgate do homem:

 

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.” (João 1:1-3)

 

No português, o verbo é o termo essencial da oração. Não se consegue escrever uma frase sem o verbo. Assim é Jesus, o principal em nossa vida. Sem Jesus não somos nada.

"Dizemos então que no princípio era Jesus e Jesus estava com Deus, Jesus era Deus e sem Jesus nada do que foi feito teria sido feito."

 

Jesus é a Palavra de Deus, é o pão da vida. Ele disse que aquele que não comesse da sua carne, não teria parte com ele.

 

“Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo.” (João 6:51)

 

Comer da carne e beber do sangue é comer a Palavra, é abastecer, é alimentar o espírito.

“Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.” (João 6:54-56)

 

Jesus foi o sacrifício que Deus escolheu para tirar o homem do império das trevas e trazer para o reino da luz, para resgatar a humanidade, tirá-la das mãos de Satanás.

“E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.” (João 1:14)

 

DEUS DEU JESUS QUE ERA O QUE DE MELHOR ELE POSSUÍA, PARA MORRER POR AQUELES QUE ERAM PECADORES

“Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.” (Romanos 5:8)

Deus não precisa nos provar nada. Nós é que temos de provar para Deus. Nós é que desobedecemos, que caímos. Mesmo assim, Ele nos deu o seu bem mais precioso, para provar o Seu amor para conosco.

 

A Palavra de Deus nos diz que somos a menina dos Seus olhos, mas muitas vezes nós não damos crédito a isto. Conhecemos a Palavra, mas não a praticamos, não buscamos crescer nela, achamos que sabemos demais e ficamos parados no tempo e no espaço. E nós vamos morrer sem conhecer o mistério de Deus.

A regeneração começa em nossa vida o processo de restauração da imagem moral de Deus, porém, enquanto não formos inteiramente santificados e glorificados, não poderemos refleti-la de modo perfeito em nossos pensamentos e ações.

 

“Porque de dentro, do coração dos homens, é que procedem os maus desígnios, a prostituição, os furtos, os homicídios, os adultérios, a avareza, as malícias, o dolo, a lascívia, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura: Ora, todos estes males vêm de dentro e contaminam o homem.”(Marcos 7:21-23)

 

Deus não distingue entre pecados cometidos na mente e os consumados por ação.

 

Maus desígnios são pensamentos maus, donde procedem todos os males e pecados.

Prostituição: é o pecado sexual em geral.

Furto: é o mesmo que tomar para si o que não lhe pertence.

Homicídio: é a ação de matar um ser humano, é um assassinato.

Adultério: é a infidelidade conjugal, traição.

Avareza: é o ato de desejo de posse ilícita e exagerada, inclusive no que se diz respeito à área sexual.

Malícia: é um termo geral para se referir a atos de maldade.

Dolo: é o uso de engano ou sutileza, em palavras ou atos, com a finalidade de fazer o mal.

Lascívia: é o mesmo que dissolução, é a tendência à luxúria, à sensualidade.

Inveja ou “olho mau”: é o sentimento de cobiça à vista da felicidade, da superioridade de outra pessoa.

Blasfêmia: é uma afronta contra a majestade de Deus.

Soberba: é o mesmo que arrogância, orgulho, vaidade, presunção.

 

A regeneração é o ato realizado só por Deus, no qual Ele renova o coração humano, fazendo-o reviver depois de estar morto.

A regeneração é necessária porque todos os descendentes de Adão e Eva herdaram o pecado deles e são moralmente incapazes de fazer o que é bom.

 

Jesus diz que, a menos que se nasça de novo, não se pode ver o reino do céu.

"Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus." (João 3:3)

Sem a graça de Deus, os pecadores não podem encontrar a porta, muito menos, entrar por ela.

 

Jesus disse: “... Sem mim nada podeis fazer.” (João 15:5)

 

Nicodemos ficou perplexo com a exigência de um novo nascimento. Ele devia ter compreendido, com base no Antigo Testamento, que era pecador e necessitava de uma nova vida. Os profetas disseram que Deus haveria de remover os corações de carne e substitui-los por corações prontos para fazer a vontade dEle. Deus ressuscitaria os mortos, daria vista aos cegos e pregaria as boas-novas àqueles que não podiam salvar-se a si mesmos.

Por mais dotado ou refinado que seja, o homem natural é absolutamente cego à verdade espiritual e impotente para entrar no Reino, pois não pode obedecer, nem entender, nem agradar a Deus sem Jesus.

 

“Lava-me completamente da minha iniqüidade, e purifica-me do meu pecado. Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que é mal à tua vista, para que sejas justificado quando falares, e puro quando julgares.
 

Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe. Eis que amas a verdade no íntimo, e no oculto me fazes conhecer a sabedoria. Purifica-me com hissope, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve.
 

Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que gozem os ossos que tu quebraste. Esconde a tua face dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniqüidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo.
 

Torna a dar-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário." (Salmos 51:2-12)

 

“Enganoso é o coração, mais do que todas as cousas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” (Jeremias 17:9)

 

O novo nascimento não é uma reforma da velha natureza, mas um ato criativo do Espírito Santo.

“Sabendo isto, que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos.” (Romanos 6:6)

 

A expressão “velho homem” significa tudo aquilo que estava em Adão, tanto moral como judicialmente, isto é, o homem antigo, a natureza corrupta e humana, a tendência inata para o mal de todos os homens. É o próprio homem natural e os seus caminhos. No reconhecimento de Deus, “o velho homem” foi crucificado e o crente é exortado a torná-lo válido na experiência, reconhecendo que está assim “despojando-se definitivamente do velho homem” e “revestindo-se” do novo.

“E vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade”. (a Palavra de Deus) (Efésios 4:24.)

O “novo homem” é o homem regenerado que se distingue do velho homem. É um novo homem que se tornou participante da natureza e vida divinas.

 

De maneira nenhuma, o velho homem é reformado ou melhorado.

O novo homem é Cristo “formado” no cristão.

O corpo do pecado significa a “carne”, a natureza não regenerada da velha solidariedade com Adão.

 

A condição do novo nascimento é fé em Cristo crucificado.

“E do modo por que Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado. Para que todo o que nele crê tenha a vida eterna. Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito , para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.” (João 3:14-17)

 

Crer indica mais do que simples consentimento intelectual para com um fato. A palavra (no grego pistis , substantivo; pisteuõ, verbo) significa adesão a , compromisso com , confiança em uma pessoa ou em um objeto, e isto envolve não apenas o consentimento da mente, mas um ato do coração e da vontade da pessoa.

 

“Todo aquele que nEle crê” é o equivalente a “todo aquele que confia ou se entrega a Ele (Cristo)”.

A crença, então, é sinônimo de fé, que consiste em crer e aceitar que Deus se revelou.

Através do novo nascimento o crente se torna um membro da família de Deus e participante da natureza divina, da vida do próprio Cristo.

 

“Logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que agora tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.” (Gálatas 2:20)

 

“Pelas quais nos têm sido doadas as suas preciosas e mui grandes promessas para que por elas vos torneis co-participantes da natureza divina, livrando-os da corrupção das paixões que há no mundo.” (2 Pedro 1:4)

 

A regeneração é o dom da graça de Deus, é a obra imediata, sobrenatural do Espírito Santo, realizada em nós. Seu efeito é fazer com que nós, da morte espiritual, passemos à vida espiritual, é mudar a disposição de nossa alma, inclinando nosso coração para Deus.

 

O FRUTO DA REGENERAÇÃO É A FÉ

Somos responsáveis por saber se somos espiritualmente renascidos, não apenas por conhecermos a ocasião e o lugar em que nascemos de novo, mas pela transformação de vida.

 

Quando alguém confia em Cristo como Salvador, Deus perdoa e aceita essa pessoa como coberta completamente pela justiça do Cristo. O crente torna-se um filho de Deus e lhe é assegurada a vida eterna com Ele.

 

“Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito (único), para que todo que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. (João 3:16.)

 

Porque Deus amou ao mundo de tal maneira...

 

Alguns insistem na idéia de que Deus enviou Jesus com o propósito de conceder salvação a todos, sem exceção, mas Jesus deixa bem claro que a Salvação é para aqueles os quais “o Pai me dá”.

 

Não é uma mera possibilidade, mas certeza absoluta, é “o que vem a mim”.

 

“Todo aquele que o Pai me dá esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum lançarei fora. Porque eu desci do céu, não para fazer a minha própria vontade, e sim a vontade daquele que me enviou. E a vontade de quem me enviou é esta: que nenhum se perca de todos os que me deu; pelo contrário, eu o ressuscitarei no último dia. De fato, a vontade de meu pai é que todo homem que vir o filho e nele crer tenha a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia”. (João 6:37-40)

 

Deus conduz à fé todos aqueles que escolhe redimir.

A redenção do eleito é certa. O filho promete aceitar qualquer um que crê verdadeiramente.

 

A vontade do Pai não é apenas a oferta realizada pelo próprio Jesus em beneficio dos pecadores perdidos. Ele, finalmente, ressuscitará a todos os que o Pai lhe deu e não deixará nenhum deles se perder. Deus, graciosamente os faz perseverar como verdadeiros crentes, assegurando sua salvação final.

 

“Eu sou o bom pastor conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem a mim. Assim como O Pai me conhece a mim, e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas. Ainda tenho outras ovelhas, não deste aprisco; a mim me convém conduzi-las, elas ouvirão a minha voz; então, haverá um rebanho e um pastor. Por isso, o Pai me ama, porque eu dou a minha vida para a reassumir. Ninguém a tira de mim; pelo contrário, eu espontaneamente a dou. Tenho autoridade para a entregar e também para reavê-la.” (João 10:14-18)

 

“de modo nenhum o lançarei”.

“ Mas a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus a saber aos que crêem no seu nome.

“Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus”.

“Porque a lei foi dada por intermédio de Moisés, a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo”. (João 1:12,13,17.)

 

A graça e a verdade de fato existiram nos dias de Moisés, mas foram plenamente reveladas com a vinda de Cristo.

A união com Cristo resume a nossa experiência de redenção de resgate.

 

Os crentes, os que crêem em Jesus como o Messias, como o Filho do Deus vivo, aquele que foi mandado pelo Pai para nos resgatar e nos perdoar, reatando-nos, religando ao Pai, foram eleitos e justificados.

 

Eleitos:

“Assim como nos escolheu nele, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele, e em amor. Nele digo, no qual fomos também feitos herança, predestinados, segundo o propósito daquele que faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade ”. (Efésios 1:4,5.)

 

Justificados:

“Agora, pois, já nenhuma condenação há pra os que estão em Cristo Jesu s , que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito”. (Romanos 8:1.)

Paulo acaba de demonstrar que a vida, sem a graça de Cristo, é derrota, miséria e escravidão do pecado, portanto, a vida espiritual, a liberdade da condenação, a vitória sobre o pecado e a comunhão com Deus nos vêm pela união com Cristo, mediante o Espírito Santo que em nós habita.

 


Este estudo foi visualizado 36337vez(es)

Ir para o Portal Casa do Senhor - Clique Aqui

Estudos Bíblicos

Copyright(c) 2003-2011. Ministério Internacional Casa do Senhor. Todos os direitos reservados.
Rádio Web Nova Vida - www.casadosenhor.com.br ou www.casadosenhor.pt