Ferramentas Auxiliares (Casa do Senhor) - Rádio Web Online - Dicionário Bíblico Online

 


 

INICIANTES NA FÉ - O PLANO DE SALVAÇÃO
 
 
“Então, o carcereiro, tendo pedido uma luz, entrou precipitadamente e, trêmulo, prostrou-se diante de Paulo e Silas. Depois, trazendo-os para fora, disse: Senhores, que devo fazer para que seja salvo?”  (Atos 16:29-30)
 
Quando se diz que um bombeiro salvou alguém, entende-se que esta pessoa estava passando por perigo. Do mesmo modo, o fato de a Bíblia afirmar que precisamos de salvação, indica que corremos perigo.
 
 
1. Necessidade de Salvação
 
"- Por quê preciso de salvação?"
 
Porque todos pecaram contra Deus e estão sujeitos às conseqüências do pecado. Pecado é todo pensamento, ato ou palavra contrários à vontade de Deus.
  
 
1.1. Destituídos da Glória de Deus (Rm 3:23) Ser destituído é o mesmo que ser demitido, deposto de um cargo ou posição, ser privado de autoridade e dignidade.
 
Este versículo de Romanos mostra-nos a queda do homem, que tendo sido criado para uma alta posição diante de Deus (posição de filhos), perdeu pelo pecado esta condição bem como a dignidade e sua autoridade espiritual. O homem passa a ser, a partir dali, apenas uma criatura de Deus e não mais filho de Deus.
 
Desta destituição do estado de Glória que o homem tinha em Deus, tornou-se um ser decadente e desta decadência surgiram conseqüências gigantescas a nível mundial: guerras, fome, violência, degradação moral, AIDS etc.
 
 
1.2. Separados de Deus (Is 59:1,2) Deus não pode suportar o pecado, pois a santidade de Deus não é somente um atributo seu, mas sim a sua natureza.
 
Pedir para Deus aceitar o pecado seria o mesmo que pedir para que você parasse de respirar e mesmo assim continuasse vivo! Uma das piores conseqüências do pecado é a separação que ele causa entre nós e Deus! O homem não tem condições de viver sem Deus.
 
Não pode ser feliz plenamente e seu poder de decisão é normalmente voltado para o mal. Portanto, Deus não consegue abrigar um homem com pecado, e o homem não pode viver sem Deus. Então, a solução é o homem deixar de ser pecador.
 
 
1.3. Mortos espiritualmente (Rm 6:23)
 
O homem é formado de corpo, alma e espírito.
 
O corpo é a parte física, matéria.
 
A alma é o nosso consciente, nossa personalidade (persona), nossa mente, o nosso "eu" propriamente dito. É na alma que estão nossos sentimentos, emoções; é a alma que dá vida ao corpo.
 
O espírito é a parte do homem que lhe permite ligação com Deus.
 
Todo relacionamento entre Deus e o homem é feito através do espírito do homem. A identidade do homem com a Glória de Deus é o seu espírito. Por isso o termo Homem Espiritual. O espírito está ligado indivisivelmente à alma, todavia, quando o homem está em estado de pecado, o seu espírito está inativo, morto (Ef 2:5).
 
O estágio final da morte espiritual é o inferno, onde o homem estará definitivamente separado da presença de Deus e sofrerá a punição pelos seus pecados (Ap 20:11-15).
 
 
2. Características da Salvação
 
2.1. A salvação é em vida (Is 55:6)
 
Na parábola do rico e de Lázaro, Jesus deixa claro uma verdade espiritual: após a morte não há salvação (Lc 16:19-31).
 
Ao contrário do que o espiritismo ensina, de que o homem após a morte será aperfeiçoado através de várias reencarnações, e o catolicismo de que após a morte a alma pode ir para o purgatório, onde será atormentada e depois liberada para o céu, a Bíblia nos ensina que "E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois disto, o juízo" (Hb 9:27).
 
Por isso o apelo de Isaías deve soar ainda mais forte: "Buscai ao Senhor enquanto se pode achá-lo, invocai-o enquanto está perto" (Is 55:6);  Ler também Ec 9:4-6; Sl 6:5.
 
A arca de Noé é símbolo desta verdade, pois enquanto a arca estava aberta todos eram convidados à salvação, mas quando o Senhor fechou a arca (Gn 7:16), não houve mais chances de salvação e todos quanto rejeitaram a pregação de Noé, pereceram.
 
Encontramos também na parábola do rico insensato, a pergunta que Deus lhe dirige "...louco, esta noite te pedirão tua alma, e o que tens preparado para quem será?" (Lc 12:16-21).
 
 
2.2. A salvação é individual (Ez 18:4,30)
 
O texto de Ez 18:4 nos mostra que cada qual será julgado pelos seus próprios pecados. Da mesma forma, em Ez 18:30 nos mostra que a salvação é individual.
 
Veremos mais adiante que a condição para sermos salvos é arrepender-se dos pecados cometidos.
 
Como eu não posso me arrepender pelos erros de outra pessoa, assim fica a salvação condicionada ao indivíduo. Portanto de nada adianta acender velas para os mortos, ou tentar qualquer tipo de comunicação com estes. Isto é abominação para Deus, visto que após a morte não há salvação, e mesmo em vida, a salvação só pode ser decidida pela própria pessoa.
 
Lembre-se: "Deus não tem netos, apenas filhos.”
 
 
2.3. A salvação é caríssima (Sl 49:5-8)
 
A palavra de Deus nos diz que: “mais vale uma alma do que o mundo inteiro.”
 
Mt 16:26: “Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou, que dará o homem em troca da sua alma?”
Mc 8:36: “Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?”
Lc 9:25: “Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, e se vier a perder-se, ou a causar dano a si mesmo?”
 
Assim sendo, ainda que você tivesse todas as riquezas deste mundo; mesmo que fosse o dono deste planeta com todas as suas riquezas minerais, vegetais e animais, ainda assim não poderia pagar o resgate de uma alma a Deus.
 
Nossas obras não podem salvar-nos, como está claro em Ef 2:8-9: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; não vem das obras, para que ninguém se glorie.”
 
Nem pode salvar-nos a nossa própria justiça (justiça aqui tem o sentido de vida justa, correta). Ler Is 64:6.
 
Uma vida religiosa não pode nos salvar, pois devemos nos lembrar que religião (vem de religar) é uma tentativa do homem em se religar com Deus. Mas tal religação não pode ocorrer, pois em Rm 6:23 vemos que nosso espírito, que é o vínculo de comunicação com Deus, está morto.
 
Portanto as tentativas religiosas, ainda que sinceras, são ineficazes. Jesus dá-nos a palavra final sobre as tentativas do homem em conquistar sua salvação.
 
Quando Cristo foi interrogado pelos discípulos: - quem pode então ser salvo? Jesus responde: "...aos homens é impossível" Mt 19:25-26.
 
 
2.4. A salvação tem de ser expiatória (Hb 9:22)
 
Expiação é uma vida sendo morta no lugar de outra. No próximo assunto detalharemos o que vem a ser expiação. Por enquanto veja um exemplo nesta ilustração:
 
Uma moça foi levada ao tribunal por haver dirigido seu carro perigosamente. Diante do juiz ela confessa ser culpada. O juiz baixa o martelinho e declara: "está multada em R$ 200,00". Em seguida, desce do tribunal, tira sua capa (toga), pega sua carteira, tira os R$ 200,00 e paga a multa. A moça era sua filha!
 
 
2.5. Porque Deus simplesmente não perdoa?
 
Aquele homem como juiz, mesmo sendo sua filha, não podia simplesmente perdoar, pois toda transgressão, sempre terá que pagar, direta ou indiretamente. É a lei e o juiz vive em função disto.
 
Por exemplo: se o seu filho desobedeceu, e jogando bola na sala de estar, quebrou o seu vaso mais precioso, mesmo que você o perdoe, alguém estará pagando o preço pela desobediência: você!
 
Para Deus só há uma coisa que pode pagar uma alma: outra alma!
 
É uma lei do Universo e divina (de Deus). Mas um detalhe importante: esta alma teria que estar livre de culpas pessoais, pecados, pois senão sua vida não seria aceita por Deus de outra forma. Porém, como vimos anteriormente em Rm 6:23, a Bíblia nos declara que todos pecaram.
 
A narrativa do Sl 14:1-3 mostra-nos a triste conclusão que Deus chegou ao procurar por toda a terra alguém que não tivesse pecado: "... desviaram-se todos e juntamente se fizeram imundos; não há um justo sequer, sequer um.”
 
No Antigo Testamento, Deus instituiu uma forma de apagar provisoriamente (até o próximo pecado) os pecados de quem se arrependesse. Aquele que houvesse pecado deveria trazer uma ovelha, um cordeiro, ao sacerdote. O sacerdote então, oraria pelo pecador e colocaria suas mãos sobre a ovelha, significando que os pecados cometidos por aquele que trouxera a ovelha, estariam sendo transferidos para o animal, que em seguida era morto e oferecido a Deus através de uma fogueira onde a ovelha era queimada.
 
Outro exemplo para melhorar sua interpretação: O governador dum Estado pode perdoar o criminoso, mas não pode reintegrá-lo na posição daquele que nunca desrespeitou as Leis. Mas a Deus é possível efetuar ambas as coisas.
 
Com a expiação, Ele [Deus] apaga o passado e trata o ofensor como se nunca tivesse pecado.
 
 
2.6. Jesus, o Cordeiro de Deus (Jo 1:29)
 
Aquele cordeiro simbolizava Jesus, que como o juiz da ilustração citada acima, despiu-se de sua Glória e Majestade e veio ao mundo para pagar a nossa dívida com Deus.
 
Se a Bíblia pode ter versículo resumido, este é João 3:16: Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Deus aceitou o pagamento pela nossa transgressão!
 
Holocausto
Precisamos neste ponto explicar o que vem a ser holocausto e expiação para entender o sacrifício de Jesus.
 
Lv 1:1-7
1 “Ora, chamou o Senhor a Moisés e, da tenda da revelação, lhe disse:
2 Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Quando algum de vós oferecer oferta ao Senhor, oferecereis as vossas ofertas do gado, isto é, do rebanho ou de gado miúdo.
3 Se a sua oferta for holocausto de gado, oferecerá ele um macho sem defeito; à porta da tenda da revelação o oferecerá, para que ache favor perante o Senhor.
4 E porá a sua mão sobre a cabeça do holocausto, e este será aceito a favor dele, para a sua expiação.
5 Depois imolará o novilho perante o Senhor; e os filhos de Arão, os sacerdotes, oferecerão o sangue, e aspergirão o sangue em redor sobre o altar que está à porta da tenda da revelação.
6 Então, ele esfolará o holocausto, e o partirá nos seus pedaços.
7 E os filhos de Arão, o sacerdote, porão fogo sobre o altar, pondo em ordem a lenha sobre o fogo;”
 
Holocausto, do heb. ‘olah, cujo significado básico é de fazer subir em fumaça, uma oferta total da qual os demais sacrifícios são apenas modificações. Nossa palavra holocausto significa totalmente queimado.
 
Esta oferta significa a dedicação completa a Deus daquele que oferecia e tipifica(é comparável) a Jesus Cristo, ao se oferecer imaculado (sem mácula, sem mancha, sem defeito - pecado) a Deus, para fazer Seu inteiro agrado. Hb 9:14; Fp 2:6-8. Na seleção da vítima, tanto o rico como o pobre podia trazer uma oferta aceitável, fosse um novilho, ou fosse uma rola.O termo macho sem defeito do v. 3, representa Cristo na Sua perfeição (Hb 9:14; 1Pe 1:19). O sacrifício oferecia-se no altar do holocausto, na porta do Tabernáculo, (comparar v.3 com Ex 40:6), depois do ofertante identificar-se com o animal que ia ser seu substituto,aceitando sua posição de pecador pedindo a expiação, com o simples gesto de, por a mão sobre a cabeça do holocausto. Da mesma maneira, o simples ato de estender a mão da fé para a pessoa de Nosso Substituto Jesus Cristo, identifica-nos com o Salvador que tomou nossos pecados sobre si (2 Co 5:21).
 
Esta morte do animal no lugar do ofertante enfatiza que “o salário do pecado é a morte” (Rm 6:23). A aspersão do sangue sobre o altar era o sinal que a vida tinha sido oferecida; procedia-se então à queima da carne.
 
A remissão dos pecados fica vinculada ao derramamento do sangue (Hb 9:22).
 
 
Batismo de Jesus
 
Quando Jesus veio ao Rio Jordão para ser batizado, João Batista, ao ver Jesus de longe, exclamou: "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo". Deus havia provido para si um cordeiro, que seria morto em lugar de todo aquele que o aceitasse como Salvador. Assim como o pecador impunha as mãos sobre a ovelha transferindo para o animal os pecados, todo aquele que levanta as mãos para Jesus, torna-se puro e recupera sua condição de filho de Deus (Jo 1:12).
Todos os homens e mulheres do passado que ao se arrependerem de seus pecados matavam um cordeiro, estavam na verdade testemunhando sua confiança de que Deus enviaria o Salvador, e de antemão depositavam sua confiança nEle. Hoje podemos respirar aliviados e viver somente para Ele, pois, em I Pe 1:18-19, encontra-se a razão de nossa esperança. Aleluia!
 
 
Estudo Suplementar
 
O véu no Templo
 
Do Antigo Testamento, e se estendendo aos dias de Jesus, havia no Templo um denso véu que separava dois compartimentos: o Lugar Santo e o Lugar Santíssimo.
 
O Lugar Santíssimo representava a presença de Deus, e era separado pelo véu para mostrar a inacessibilidade do homem a Deus, devido ao pecado. Somente o sumo sacerdote podia entrar naquele local e ainda de tempos em tempos.
 
O véu do templo representava a carne do Senhor Jesus (Hb 10:20), que ao ser rasgada na cruz, ao mesmo tempo, simbolicamente, rasgava-se o véu do Templo. Abriu-se assim o lugar Santíssimo para aqueles que venham a receber Jesus como Senhor e Salvador de suas vidas, reconhecendo o sacrifício na Cruz.
 
Mt 27:50-51: “E Jesus, clamando outra vez com grande voz, entregou o espírito. Eis que o véu do santuário se rasgou em duas partes de alto a baixo;...”
 
Mostra-se com isto que, através do sacrifício de Jesus, todos quantos quiserem, podem ter acesso à presença de Deus, pois nossas dívidas para com Ele foram pagas por Jesus Cristo na cruz.
 
Cl 2:14: “tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz;”
 
 
3. Condições para salvação
 
A salvação que herdamos de Cristo é definitiva (Hb 9:28) e exclusiva (At 4:12). Assim sendo, a Bíblia enfatiza o perigo de negligenciarmos esta salvação, quer descrendo-a, protelando-a ou a achando insuficiente, julgando ser necessário a ajuda de "santos, guias ou obras" (Hb 2:3; Is 55:6; At 4:12).
 
Resta-nos, porém, cumprir 3 requisitos para que possamos alcançar a salvação em Jesus Cristo que está à disposição de toda a humanidade:
 
 
3.1. Crer
 
Crer no sacrifício e ensinamentos dados por Jesus.
Uma das últimas palavras ditas por Jesus aqui na terra: "...aquele que crer será salvo".
 
Mc 16:15-16: “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.” Esta passagem mostra-nos a primeira exigência para tomarmos posse da salvação: crer. Há muita confusão com esta palavra crer.
 
A maioria das pessoas confundem crer com simplesmente acreditar.
 
Se sairmos entrevistando pessoas na rua, a maioria afirmará que Jesus morreu na cruz; no entanto, a grande maioria destas pessoas ainda não são salvas. Por quê?
Porque crer significa aceitar o sacrifício de Jesus como tendo sido em meu lugar e aceitar seus ensinamentos num todo.
 
Este crer chama-se .
significa permanecer nos ensinamentos de Cristo, por toda a vida.
 
Isto significa, também, que alguém pode ganhar a salvação e depois a perder.
 
 
3.2. Arrepender-se
 
Arrepender-se dos pecados cometidos.
 
At 2:37-38: “E, ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos? Pedro então lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo.”
 
Arrependimento, na Bíblia, não tem simplesmente o sentido de constrangimento ou remorso pelos pecados cometidos. Antes, o seu sentido é muito aprofundado e toma o significado de mudança de direção.
 
Arrependimento significa reconhecer que nossas atitudes, palavras ou pensamentos foram pecaminosos, que transgrediram a vontade de Deus e, portanto, abandonar tais pecados.
 
Se, por acaso, viermos a pecar com os mesmos erros ou outros, devemos pedir perdão a Deus, como nos ensinou Jesus na oração do Pai Nosso: "...e perdoa as nossas ofensas...", e Jesus intercederá por nós ao Pai, perdoando-nos.
 
I Jo 2:1: “Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; mas, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.”
 
I Jo 1:9: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.”
 
Arrependimento ocupa-se com o pecado e o remorso. Alguém disse: Arrependimento é sentir remorso a ponto de deixar o pecado.
 
Há três elementos que constituem o arrependimento, segundo as Escrituras: intelectual, emocional e prático. Podemos ilustrá-los da seguinte maneira:
 
1) Conhecimento Intelectual: O viajante que descobre que está viajando em trem errado. A pessoa compreende através da pregação da Palavra que não está em harmonia com Deus.
 
2) Lado emocional do arrependimento: O viajante fica incomodado com a descoberta. É uma auto-acusação e tristeza sincera por ter ofendido a Deus.  II Co 7:10: “Porque a tristeza segundo Deus produz arrependimento para a salvação, que a ninguém não traz pesar; mas a tristeza do mundo produz a morte."
 
3) Resultado Prático: Na primeira oportunidade o viajante deixa esse trem e embarca no trem certo. Significa “mudar de idéia ou de propósito”. O pecador arrependido propõe mudar de vida e voltar a Deus. O resultado prático é que ele produz: frutos dignos do arrependimento.  Mt 3:8: “Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento,...”
 
O arrependimento necessário para Deus perdoar seus pecados é o arrependimento prático.
 
 
3.3. Confessar
 
Confessar o Senhorio de Jesus Cristo. Jesus não quer agentes secretos cristãos, ele quer testemunhas que confessem para o mundo que Jesus Cristo vive em suas vidas.
 
No texto de Rm 10:9-10, Paulo nos diz que a confissão de nossos lábios deve ser a de que Jesus é o Senhor. "Senhor", no tempo dos apóstolos era uma palavra vinda do grego "Kuriós", que significa: "Senhor soberano, dono de tudo, inclusive das vidas".
 
Confessar Jesus Cristo como Senhor é colocarmo-nos debaixo de sua direção e ordem.
É reconhecer que Jesus é o dono de nossas vidas, e que, portanto, se nos colocamos nas suas mãos, Ele se responsabilizará por nos proteger a vida. Até mesmo o louvor verdadeiro, só pode vir de pessoas que confessem o Seu Nome.
 
Hb 13:15: “Por meio de Jesus, pois, ofereçamos a Deus, sempre, sacrifício de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o seu nome.”
 
Confessar não é simplesmente pronunciar palavras, mas sim, uma forte convicção e condição de afirmar algo.
 
 
3.4. Conclusão
 
Não pode haver fé sem arrependimento e nem arrependimento sem fé. Ambos acompanham o crente durante sua vida cristã, e unem o crente ao Cristo Vivo.
 
Essa união com o Autor da vida resulta em transformação do coração.
 
Que julgamento faríamos da pessoa que sempre se vestisse de roupa imaculada, mas nunca lavasse o corpo?
Incoerente, diríamos. Mas não menos incoerente é a pessoa que alega estar salva, vestida de justiça de Deus, e ao mesmo tempo vive de modo indigno para com Cristo.
 
Tem fé, arrependeu-se, mas não confessa isto para ninguém??!!!
 
 
Mundo Antes da Queda
 
Deus domina. Deus está na Terra. Adão e Eva viam a Deus.
 
Gn 3:8: “Quando ouviram a voz do Senhor Deus, que andava no jardim pela viração do dia, esconderam-se da presença do Senhor Deus, o homem e sua mulher, por entre as árvores do jardim.”
 
 
Mundo Depois da Queda
 
Satanás é príncipe do mundo. Ele é quem domina.
 
I Jo 5:19: “Sabemos que somos de Deus, e que o mundo inteiro jaz no maligno.” 
Jo 12:31: “Chegou o momento de ser julgado este mundo, e agora o seu príncipe será expulso.”
 
Deus não coabita com o pecado.
 
Todavia Satanás é citado somente umas 15 vezes no Antigo Testamento contra algumas centenas de vezes no Novo Testamento. Isto não significa que ele não era importante. Significa sim, que não era o único responsável pelo pecado. A natureza humana o era. Mais especificamente a carne e o sangue.
 
Deus requisitava sacrifícios, de modo: carne (com leis) e sangue (com morte e perdão dos pecados).
 
Para chegar a Deus o caminho era estreito e difícil.
 
As pessoas que tinham uma maior comunhão com Deus puderam aproximar-se de Deus e sentir Sua presença. Alguns até chegaram a ver Deus (Jesus).
 
 
Pessoas que Viram a Deus
 
Abrão
Gn 12:7: “Apareceu o Senhor a Abrão e lhe disse: Darei à tua descendência esta terra. Ali edificou Abrão um altar ao Senhor, que lhe aparecera.”
Gn 17:1: “Quando Abrão tinha noventa e nove anos, apareceu-lhe o Senhor e lhe disse: Eu sou o Deus Todo-Poderoso; anda em minha presença, e sê perfeito;”
Gn 18:1: “Apareceu o Senhor a Abraão nos carvalhais de Manre, quando ele estava assentado à entrada da tenda, no maior calor do dia.”
  
Isaque
Gn 26:1-2: “Sobreveio à terra uma fome, além da primeira, que ocorreu nos dias de Abraão. Por isso foi Isaque a Abimeleque, rei dos filisteus, em Gerar. E apareceu-lhe o Senhor e disse: Não desças ao Egito; habita na terra que eu te disser;”
 
Jacó
Gn 32:30: “Pelo que Jacó chamou ao lugar Peniel, dizendo: Porque vi a Deus face a face, e a minha vida foi preservada”.
 
Ninguém jamais viu a Jeová (Deus). A palavra Senhor, em todo o AT, representa o nome secreto do próprio Deus, que muitos representam como Jeová, ou Jahveh (em toda a Bíblia de Jerusalém), ou Javé, ou o Eterno, nome que inclui a idéia de Criador, Causa e Existência eterna.
 
A Bíblia diz claramente que ninguém viu a Jeová (Ex 33:20 e Jo 1:18).
 
Mas há várias ocasiões registradas onde um visitante celestial é chamado Jeová: Gn 16:7-14; 22:11-18; 18:1-33; 32:29-30; Jz 6:11-24; 13:21-22; Is 6:5; Ex 3:2-16.
 
A solução é que o próprio Jesus Cristo, que existia antes que houvesse mundo (Jo 1:1-3;17:24), estava revelando-se antes de vir à Terra (I Co 10:4). Isto é comprovado nos versículos dos dois Testamentos que fazem Cristo igual a Jeová. Compare:
 
Jr 17:10 com Ap 2:23;    Is 8:13-14 com 1 Pe 2:7-8;    Is 45:23 com Fp 2:10-11;
 
Is 41:4; 48:12; 44:6 com Ap 1:17; 2:8;  e Is 40:1-3 com Jo 1:23.
 
Acrescente a esta nota o que está em Jo 14:9-10:
“Respondeu-lhe Jesus: Há tanto tempo que estou convosco, e ainda não me conheces, Felipe? Quem vê a mim, vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, é quem faz as Suas obras.”
 
Gn 35:1: “Depois disse Deus a Jacó: Levanta-te, sobe a Betel e habita ali; e faze ali um altar ao Deus que te apareceu quando fugias da face de Esaú, teu irmão.”
 
Gn 35:9: “Apareceu Deus outra vez a Jacó, quando ele voltou de Padã-Arã, e o abençoou.”
 
 
Moisés
Ex 3:4: “E vendo o Senhor que ele se virara para ver, chamou-o do meio da sarça, e disse: Moisés, Moisés! Respondeu ele: Eis-me aqui.”
 
Moisés, Arão, Nadabe, Abiú e 70 anciãos
Ex 24:9-10: “E subiram Moisés, e Arão, e Nadabe, e Abiú, e setenta dos anciãos de Israel. E viram o Deus de Israel, sob cujos pés havia uma como pavimentação de pedra de safira, que se parecia com o céu na sua claridade.”         
 
Davi
II Cr 3:1: “Então Salomão começou a edificar a casa do Senhor em Jerusalém, no monte Moriá, onde o Senhor aparecera a Davi, seu pai, no lugar que Davi tinha preparado na eira de Ornã, o jebuseu.”
 
Salomão (em sonhos)
I Rs 3:5: “Em Gibeão apareceu o Senhor a Salomão de noite em sonhos, e disse-lhe: Pede o que queres que eu te dê."
I Rs 9:1-2: “Sucedeu, pois, que, tendo acabado Salomão de edificar a Casa do Senhor, e a casa do rei, e tudo o que tinha desejado e designara fazer, o Senhor tornou a aparecer-lhe segunda vez, como lhe tinha aparecido em Gibeão.”
 
Isaías
Is 6:5: “Então, disse eu: Ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos!”
 
 
Deus Novamente na Terra 
 
Mas este privilégio de ver a Deus era de alguns somente. 
 
Então veio Jesus, o filho de Deus, e foi morto pelos judeus e romanos.
 
Em suma, o mundo matou Jesus. Esta morte condenou o mundo. O mundo continua muito distante de Deus, pois Deus não concorda nem coabita com o pecado. Ainda mais, depois de matarem seu Filho.
 
Mas Jesus foi morto para abolir os sacrifícios. O que é morte para o mundo (muito pior que no AT) é vida para o crente em Jesus.
 
 
Mundo Depois de Jesus 
 
Todo judeu, romano, grego ou qualquer outra etnia, que crer que Jesus é o Filho de Deus e que Ele é o holocausto (que morreu por nós) para salvar do pecado e da morte (que o pecado nos traz), está salvo.
 
Nossa luta não é mais contra o mundo, sangue ou carne agora, mas contra Satanás.
Ef 6:11-12: “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes permanecer firmes contra as ciladas do diabo; porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.”
 
Deus nos deu liberdade de escolha. É o chamado Livre Arbítrio.
 
Escolhemos a Ele, por intermédio de Jesus, ou escolhemos o pecado e Satanás.
 
O livro de Jó (Jó 1:8-12) mostra esta disputa.                                                       
 
Em primeiro lugar Satanás não pode interferir na vida de um crente sem a permissão de Deus. Na vida de um não crente em Jesus, Satanás está livre para atuar, pois é uma lei divina. Sem a proteção de Jesus, os demônios estão livres para agir.
 
Em segundo lugar toda vez que Satanás (ou anjos bons enviados da parte de Deus) testa a fidelidade de um crente com provações, privações e tribulações, e o crente vence, Deus vence. Seu placar é acrescido de um tento, ganha um novo galardão (Mt 5:11-12; Mt 6:19-21; Mt 10:42; Lc 6:35 e Ap 22:12), e Satanás é novamente humilhado, como Jó o fez.
 
 
 
SINOPSE:
 
Como o homem é desobediente, pecador e ingrato, Deus criou Planos de Salvação.
 
Os homens deviam segui-los e com isto encontrarem o caminho que leva a Deus e à salvação.
 
O homem desonrou a todos eles.
 
Como o homem não conseguiu cumprir sua parte em todos o planos de salvação, só restou a Deus mandar seu Próprio Filho, JESUS, com um plano definitivo para a salvação da raça humana.
 
É este o plano que está atualmente em vigor.
 
O plano encontra-se descrito em todo o Novo Testamento, mas está resumido nesta passagem:
 
Jo 3:16: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”
 
 
Agora, para se chegar a Deus, somente por
 
JESUS!
 
 
 
 
 

 


Este estudo foi visualizado 36464vez(es)

Ir para o Portal Casa do Senhor - Clique Aqui

Estudos Bíblicos

Copyright(c) 2003-2011. Ministério Internacional Casa do Senhor. Todos os direitos reservados.
Rádio Web Nova Vida - www.casadosenhor.com.br ou www.casadosenhor.pt