Ferramentas Auxiliares (Casa do Senhor) - Rádio Web Online - Dicionário Bíblico Online

 


 

E PERSEVERAVAM NA DOUTRINA DOS APÓSTOLOS

 

"E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos. E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister. E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.” (Atos 2:42-47)

LÍDERES, DEVOLVAM A MINHA IGREJA!!

Eu confesso que acho esta frase um pouco pesada. Mas admito que ela faz sentido em se tratando da Igreja Evangélica no Brasil. Partindo, então, deste princípio, em que os líderes estariam usurpando a igreja de Jesus?

1 – Na ênfase da pregação

Em toda a história da Igreja Evangélica no Brasil, nunca se vendeu tantos livros e se fez tantas palestras e conferências sobre como fazer uma igreja crescer. Esse processo evidencia que algumas lideranças estão trocando a ênfase dada por Jesus no amadurecimento da igreja pela lógica do crescimento. É preciso entender que o crescimento da igreja é problema do Espírito Santo. O texto bíblico acima mostra que os apóstolos ensinavam e os discípulos perseveravam nas doutrinas, aprendendo que a obra de Deus é o próprio homem, aprendendo que estão sendo transformados segundo a imagem de Jesus Cristo.

Deus quer que tenhamos o caráter de Jesus. Ser cristão é sair do estado de rebelião para o estado de adoração, e adorar é reconhecer que a vontade de Deus é o que existe de correto no universo. Cultuar a Deus é fazer tudo que Jesus faria se estivesse em nosso lugar. Na igreja de Jerusalém os membros estavam crescendo em ser como Jesus, e crescer é viver em comunidade.

Os líderes precisam compreender que pastorear não é trabalhar até que se tenha uma congregação imensa, mas investir no ser humano de tal modo que ele aprenda a ser como Jesus e a amar cada vez mais os outros irmãos. Quando a ovelha está com um problema, ensina-se a ele a lidar com aquela situação da forma como Jesus lidaria. Se ela desenvolve antipatia por um semelhante, mostra-se a ela que é preciso olhar para aquela pessoa como Jesus olharia.

Mas este movimento que faz as lideranças buscarem desesperadamente pelo crescimento numérico está levando a igreja a ficar cada vez mais egoísta. As músicas demonstram isso. Onde está o “nós”? As canções só se referem à primeira pessoa, como se não fosse importante que a obra de Deus alcançasse a comunidade, mas apenas o indivíduo. Isso está fazendo o homem acreditar que tudo é para ele.

Olhando para a história bíblica, veremos que Moisés abriu o mar, quando estava libertando escravos; Jesus dominou o vento e a tempestade quando estava indo libertar o gadareno; o mesmo Cristo multiplicou os pães e os peixes para alimentar uma multidão. Mas, hoje, qual é a motivação para se buscar milagres?

Os apóstolos levavam os discípulos a orar, a ler a Bíblia, a crescer espiritualmente em prol da comunidade. Na congregação desenvolvia-se o sentimento de união, de solidariedade. Os líderes atuais, entretanto, precisam tomar estes exemplos, pois usurpamos a igreja e transformamos Deus em um criado.

2 – Na mensagem

Ao iniciar o seu ministério, Jesus dizia que o reino de Deus estava chegando. As pessoas deviam se arrepender de suas práticas e jeito de ser errados. Elas deviam reconhecer que carregavam dentro de si o mal. E, hoje, a mensagem continua sendo a mesma, as pessoas continuam precisando admitir sua condição decaída de pecado, continuam precisando reconhecer que são criaturas fora do padrão de Deus.

Mas não se fala mais que o indivíduo está em rebelião contra Deus. Temos transferido a culpa para o diabo. No entanto, precisamos entender que são os homens que abriram a porta do coração para ele entrar. E, ao invés de chamar a atenção do homem para esta situação, os profetas estão trocando a mensagem do arrependimento pela mensagem da bênção. “Venha buscar a sua bênção”, é o que se anuncia.

É por isso que vemos tanta gente convertida, comprometendo-se em mudar mas sem condição de assumir um novo caráter. Elas passam a freqüentar igrejas, mas não conseguem deixar de mentir, adulterar, drogar-se, cobiçar. O interior delas não está sendo trabalhado, a mensagem do arrependimento e da mudança de direção não está sendo pregada, as pessoas não estão indo às igrejas para se tornarem semelhantes a Jesus. Usar o nome de Deus com interesses próprios, para ganhar dinheiro e status, é blasfêmia, porque é blasfêmia confundir o que santo com o que é humano. E a igreja não está se importando, porque perdeu o temor de Deus.

A igreja não se incomoda mais em se relacionar com Deus só para receber coisas. Outro dia, soube de um rapaz que afirmou ficar sem dar glória a Deus até que o Senhor lhe respondesse positivamente ao pedido que fez. O povo está perdendo o temor de Deus, e quando se perde o temor de Deus, ganha-se medo do diabo, tornando-se alguém supersticioso. Usurpamos quando não ensinamos que o homem deve temer a Deus. A mensagem não pode mais ser

“Venha buscar a sua bênção”. A mensagem tem que ser “Arrependei-vos”.
Conclusão - A Bíblia ensina que pastorear é ser exemplo. E ser exemplo é dizer ao rebanho o que Paulo disse: “Sede meus imitadores como eu sou de Cristo” (I Co 11:1). Primeiro, é necessário ser exemplo de arrependimento, mostrar que está em constante quebrantamento diante do Pai celeste e que só está de pé porque Ele sustém. O líder também tem de ser exemplo do que é ser ovelha de Jesus. Afinal de contas, se não formos como Jesus, seremos como quem?

 


Este estudo foi visualizado 14634vez(es)

Ir para o Portal Casa do Senhor - Clique Aqui

Estudos Bíblicos

Copyright(c) 2003-2011. Ministério Internacional Casa do Senhor. Todos os direitos reservados.
Rádio Web Nova Vida - www.casadosenhor.com.br ou www.casadosenhor.pt